quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Contratação de estagiários cresce 9%

Da Redação

A recuperação da economia está injetando ânimo em empresas e órgãos públicos que ampliam o investimento em programas de estágio e de aprendizagem. O número de jovens em programas de capacitação pelo CIEE no primeiro semestre do ano foi 9,13% maior do que o registrado no mesmo período de 2016. 

“Antevendo a retomada do crescimento econômico, nossos parceiros se anteciparam em qualificar novos talentos para reforçar seus quadros e, assim, minimizar o crônico gargalo da mão de obra capacita¬da que tanto prejudica os projetos de expansão das organizações”, explica Luiz Gonzaga Bertelli, presidente do Conselho de Administração do CIEE. 

A entidade conta com especialistas aptos a auxiliar gestores de recursos humanos a implementar programas de estágio e aprendizagem de qualidade, inclusive esclarecendo sobre os benefícios. 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Como aumentar lucro é tema de palestra gratuita


Da Redação

Na próxima quinta-feira (17) às 19h30, o Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) da ACISA – Associação Comercial e Industrial de Santo André promoverá a palestra Construindo Parcerias de Sucesso – Como aumentar o lucro e alcançar melhores resultados com as parcerias, ministrada por Ivania Almeida.

Durante o evento serão abordadas as vantagens que podem ser obtidas por meio da cooperação, otimização de processos e recursos, a associação entre marcas e união de forças, além dos cuidados em relação ao planejamento e estratégias, incluindo a preparação de seus colaboradores.

A palestrante Ivania Almeida possui MBA em Marketing Digital, trabalha com planejamento e gestão de conteúdo para redes sociais, acumula experiência de mais de 15 anos como empresária e é colunista do site Super Empreendedores.

Os interessados em participar da palestra deverão fazer gratuitamente sua inscrição até o dia 16 de agosto por meio do portal www.acisa.com.br. A ACISA está localizada na avenida XV de Novembro, 442 – Centro – Santo André, com estacionamento no local.


Sobre o NJE

O Núcleo de Jovens Empreendedores da ACISA  foi lançado em setembro de 2016 com a finalidade de fomentar o empreendedorismo na região do Grande ABC por meio de conteúdos, troca de experiências, eventos e networking. Este grupo faz parte do Projeto Empreender da ACISA, que conta com empresários dos segmentos de Pet Shop, Ciclismo e Escolas Particulares, além do Núcleo de Mulheres Empreendedoras (NME).


Pirelli investirá R$ 110 milhões em Santo André até 2019

Da redação

A TP Industrial do Brasil, ex-Pirelli Industrial, anunciou na última desta terça-feira (15) investimento de R$ 110 milhões até 2019, na unidade produtiva da empresa localizada na Vila Homero Thon, em Santo André. O valor aumentará a capacidade de produção da empresa na cidade e deverá aquecer o mercado de trabalho, com a criação de aproximadamente 400 vagas diretas e cerca de mil indiretas. Somente neste ano, o total de investimentos chegará a R$ 30 milhões na fábrica, que passa a ser o centro mundial de excelência em desenvolvimento de pneus agrícolas.

Anúncio do investimento ocorreu na última terça-feira (15) | Foto: Ricardo Trida/PSA
Em visita à unidade nesta terça-feira, o prefeito Paulo Serra se reuniu com a diretoria da empresa e ressaltou a estratégia da atual administração de estreitar a relação entre iniciativa privada e poder público. “É motivo de muita alegria esta agenda, extremamente positiva para Santo André. O investimento anunciado pela Pirelli vai ajudar muito na retomada do crescimento e da capacidade de investimento da nossa cidade. Esta recuperação é o nosso principal desafio enquanto governo e as empresas têm papel essencial nesse processo“, avalia.

O valor investido pela empresa será divido em quatro partes: R$ 45 milhões em maquinário, R$ 20 milhões em infraestrutura, R$ 15 milhões em processo de modernização e mais R$ 30 milhões na linha agrícola. Com os investimentos, a empresa deverá ser a única no mundo com excelência em desenvolvimento de pneus agrícolas. A intenção é que mais R$ 180 milhões sejam investidos na unidade entre 2020 e 2022.

Ampliar a unidade andreense, segundo o CEO da empresa para a América Latina, Tomas Salazar, é uma forma de confirmar a presença e compromisso com a modernização do agronegócio brasileiro.  "O investimento é principalmente para elaborar planos para a produção atender o mercado brasileiro e latino-americano. É importante manter Santo André como centro global de excelência no tema de agro, que é o foco da nossa produção aqui", afirma Salazar.

Segundo o CEO mundial da Pirelli Industrial, Paolo Dal Pino, o investimento na cidade é importante para aquecer o setor no mercado nacional: “A unidade em Santo André estava sendo construída enquanto o Cristo Redentor também estava, temos uma bonita história com a região. O Brasil para nós é muito importante, o país representa uma parte muito relevante do nosso negócio, ao lado da Itália. O agro também é um motor do país e queremos participar disso. Já temos um papel importante e queremos melhorar ainda mais”, diz.

A unidade da Pirelli em Santo André foi construída em 1941. Atualmente, ocupa uma área de 202.198 metros quadrados (m²), na Vila Homero Thon, sendo 124.060 m² de área utilizada. A fábrica produz pneus para caminhões, ônibus, tratores e OTRs (Off The Road). Em 2017, a estimativa é que a capacidade de produção seja de 32 mil pneus por ano na unidade andreense.


Para o secretário de Desenvolvimento e Geração de Emprego, Ailton Lima, o investimento mostra a intenção da empresa de não só permanecer com sede em Santo André, como torná-la um marco no cenário global. "Além do investimento financeiro, temos a certeza da geração de empregos e de manter uma empresa na cidade. O interesse deles em permanecerem aqui para nós é muito importante", contou o secretário.

Associação Comercial promove palestra sobre atendimento

Da Redação

A Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Diadema promove, em 13 de setembro, a palestra “Os 7 segredos do bom atendimento”, com Isabela Dauer. O evento ocorrerá as 19h30 na Vila das Estações, que fica na Estrada do Alvarenga, 5012, no Balneário São Francisco, em São Paulo. Mais informações podem ser obtidas pelos números 4053-5400 ou 99398-8301.

Arte: Divulgação

Projeto para estudantes mira no futuro empreendedor

Da Redação

Em comemoração ao Dia do Advogado e ao Dia do Estagiário, celebrados respectivamente nos dias 11 e 18 de agosto, em setembro ocorrerá o Portas Abertas, promovido pela Giugliani Advogados. O evento tem como objetivo mostrar o dia a dia e os acontecimentos na vida profissional de um advogado e, por isso, todos os estudantes de Direito podem participar. Porém, as vagas são limitadas.

Sócias do escritório de advocacia | Foto: Divulgação

“O nosso objetivo é despertar nos estudantes de Direito a vontade em empreender e mostrar o quão importante é a atenção à gestão empresarial em uma empresa de advocacia, mostrando a eles que saber o Direito é essencial, mas saber gerir uma empresa é a grande sacada para atingir o sucesso”, conta a sócia-diretora Andréa Giugliani. Por acreditar no potencial dos estudantes e na importância do estágio na vida de quem está começando a trilhar a sua carreira, o evento será dividido em duas turmas, no período da manhã e outra à tarde, em data ainda a ser definida.

Haverá ainda uma seleção entre os inscritos para poderem acompanhar o evento. As inscrições podem ser feitas até as 23h59 do dia 25 de agosto, através do formulário de inscrição no link: http://www.giugliani.com.br/portas-abertas-um-evento-para-vivenciar-a-nossa-rotina/.

ESPM realiza evento gratuito sobre Negócios e Impactos Sociais

Da Redação

Os negócios sociais que tenham Impacto Social têm crescido no Brasil. Contudo, as urgências das questões socioambientais pedem velocidade no engajamento dos atores e na implementação de ações inovadoras que promovam uma nova realidade. Pensando nisso, a ESPM convidou para a terceira edição do Diálogos CEDS – projeto do Centro ESPM de Desenvolvimento Sustentável – os melhores especialistas da área para debater o assunto e mostrar como mobilizar os Negócios e os Impactos Sociais mais rápido, com a educação e a comunicação. O evento ocorre em 24 de agosto, das 14h às 17h, na ESPM-SP.

O projeto Diálogo CEDS é uma série de debates mensais com especialistas, professores e profissionais de mercado para disseminar o conhecimento sobre diversos temas trabalhados pelo CEDS ESPM e que promovem uma real transformação na sociedade.

Durante o evento, os participantes passarão por temas esclarecedores sobre comunicação e educação em negócios sociais; seleção de fornecedores conscientes da causa socioambiental, pelas empresas; empresa aliada ao meio e à comunidade no qual está inserida; incentivo em negócios sociais – vantagens e conscientização; entre outros temas.

Para a terceira edição do Diálogos, a ESPM convidou Carolina Aranha, cofundadora da Pipe.Social, plataforma que funciona como uma vitrine de negócios de impacto, responsável pelo 1º Censo de Negócios de impacto socioambiental do país; Viviane Sedola, cofundadora da Kickante, maior plataforma brasileira de financiamento coletivo; Patricia Senise, publicitária, especialista em Gestão de Negócios e Sustentabilidade e Executiva da Hand Talk, uma das startups mais premiadas do Brasil; e Miguel Rios, diretor executivo do Instituto Singularidades com passagem como consultor pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento das Nações (PNUD) e do Ministérios da Educação (MEC). O mediador do debate será Ismael Rocha Jr., diretor de extensão acadêmica da graduação da ESPM-SP.

O evento é gratuito e tem vagas limitadas. Os interessados podem confirmar presença por aqui.

Empreendedorismo, Inovação e Direito é tema de debates em São Bernardo do Campo

Da Redação

Desde 2015, o Brasil sofre com uma grave crise econômica que se instaurou em diversos setores da economia. Embora o cenário pareça assustador, o empreendedorismo continua sendo uma opção para muitos profissionais. E tanto aqueles que já possuem um negócio próprio quanto os que ainda planejam começar um empreendimento têm investido em um mesmo conceito: a inovação.

Para analisar e discutir a atual conjuntura, a Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, em parceria com a Universidade Metodista de São Paulo, a Universidade Federal do ABC e com o CEITEC (Centro de Empreendedorismo e Inovação em Tecnologia de São Bernardo do Campo), promoverá, hoje (16), o encontro sobre Empreendedorismo, Inovação e Direito. O prefeito da cidade, Orlando Morando, fará a abertura do evento.

De acordo com a coordenadora da pós-graduação da FDSBC, Dra. Nélida Cristina dos Santos, a região do ABC está passando uma onda de negócios criados a partir da tecnologia e da inovação. Por essa razão, o evento busca criar oportunidades para que diferentes áreas de conhecimento, entre elas o Direito, tenham contato e encontrem pontos de convergência, estabelecendo projetos comuns para o bem dos estudantes, dos professores e da comunidade.

“Empreender é uma saída oportuna para o momento, unir esforços e conhecimentos só pode gerar inovação. A união de instituições e disposição em se ajustar ao mercado, quanto a formação de jovens profissionais empreendedores, bem como o apoio aos projetos que podem surgir na comunidade são pontos que valorizam esse encontro também”, completa a coordenadora.

Entre as questões escolhidas para os painéis, estão: a “Inovação e seus reflexos conjunturais”; a “Experiência do Projeto da Oficina Empreendedora e da Incubadora na Metodista”; a “Experiência em unir Inovação e Empreendedorismo e a interface com as empresas e indústrias”; o “Modelo jurídico de negócios na área de Inovação: só temos a startup como opção de negócios? ”; e o “Lançamento do CEITEC, Centro de Empreendedorismo e Inovação em Tecnologia da cidade de São Bernardo do Campo e suas perspectivas para os próximos anos”.

O evento acontecerá no Anfiteatro da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo. As inscrições vão até o dia 15 de agosto e devem ser feitas exclusivamente por aqui. As vagas são limitadas.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Chegou nossa vez de descobrir Portugal

Por Benício José Filho, professor de Empreendedorismo na Universidade Mauá e presidente do Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul (ITESCS). Benício atua para promover a atividade tecnológica e o empreendedorismo no ABC. 

Provavelmente o título deste artigo tenha despertado em você certa curiosidade em entender afinal o que estou querendo dizer. Vou começar pelo início. Há dois anos, em um evento no Peru, conheci um empresário português com investimentos no Brasil. Seu nome Bartolomeu Cabral, nada poderia ser mais engraçado. Afinal segundo os relatos históricos foi Pedro Alvarez Cabral que descobriu o Brasil. Retirando as coincidências do nome, iniciamos uma série de reuniões culminando com a vinda de um representante da sua empresa ao Brasil. Das inúmeras reuniões que fizemos, pude compreender o grau de inovação que Portugal atingiu falando especificamente de startups. Como nada na vida é por acaso, destas reuniões, lançamos o desafio de criar um evento para analisar startups brasileiras com condições de serem internacionalizadas e começamos a colocar em pratica nossos planos. 

Foto: Divulgação
No último dia 26 de junho na universidade Mauá, nosso evento se concretizou! 20 startups brasileiras de cinco estados do nosso País participaram apresentando seus projetos a 10 investidores selecionadas. Mais de 100 startups participaram do processo de avaliação tendo sido uma das mais impressionantes seleções que já participei. A grande vencedora do evento Goepik de Curitiba, mostrou para todos os jurados como um novo modelo de abordagem aos processos industriais pode fazer a diferença em um momento em que a indústria repensa sua forma de crescimento e inovação. 

Bem, até aqui você deve estar se perguntado afinal o que eu quis dizer sobre nós brasileiros descobrirmos Portugal. Quero chamar a atenção de você leitor para o incrível momento que vive Portugal. Eles aproveitaram a crise de 2008 para focar todos os seus esforços no empreendedorismo. Mais de 30 mil startups existem hoje em Portugal com uma população de 12 milhões de habitantes. No Brasil temos hoje cerca de 10 mil startups com uma população de 230 milhões. Em Portugal, uma startup nasce para atender o mundo enquanto nos por aqui, sempre pensamos no nosso mercado local. Muitas startups que conheci atuando em Portugal podem facilmente ser trazidas para o Brasil e conseguirmos com isso incríveis oportunidades de ter realmente empresas inovadoras e lucrativas. Não estou dizendo que devemos parar com nossos projetos, porém podemos aprender e “descobrir” como Portugal esta solucionando seus problemas locais e dessa forma, revolucionar nosso País.

No mundo das startups uma das maiores lições que aprendi é que muitas soluções podem ser compartilhadas e não necessariamente inventadas ou reinventadas. Não é necessário percorrer o caminho que outros já fizeram. Desta forma, descobrir Portugal pode ser para o Brasil uma enorme oportunidade de alavancar nossas startups e adicionar um bom grau de inovação a elas.
Para saber mais sobre como internacionalizar seu negócio, fale com o ITESCS (www.itescs.com.br). Se você não ficou sabendo sobre nosso evento com os portugueses na universidade Mauá, acesse: http://www.atlantichub.com/startupawardbrasil/

Empório Jardim comemora 44 anos com investimento em tecnologia

Da Redação

Há 44 anos, um jovem empresário começava o sonho de empreender com seus conhecimentos, que giravam em torno do universo de carne. Com, literalmente, a mão na massa, Valdir Sterci tinha pela frente a empreitada de conhecer o mundo que rodeava cada pedaço que ele servia aos clientes. O sonho deu início na Vila Pires, em Santo André, e lá ficou por 34 anos. Em um espaço pequeno, apenas duas portinhas, era possível conhecer a família Sterci, que consistia em pai, mãe e um irmão. 

Depois de um tempo, a casa onde morava foi derrubada por Valdir, para daí em diante levar ainda mais qualidade aos moradores da localidade. O espaço ficou com 750 metros quadrados (m²). Mas em 2007, deu o passo de investir em uma nova concepção para seu negócio, sem deixar de lado o que mais atraia clientes: a simplicidade e jeito de tratar a todos igualmente. Foi aí que o bairro Jardim recebeu o Empório Jardim, um empreendimento de 300 m², na Rua das Figueiras, também em Santo André, focado em qualidade e no que há de melhor no mercado das carnes. 

Parrilla Del Carmem também faz parte do grupo | Foto: Divulgação 

“Queria valorizar o Grande ABC. Ninguém precisa sair da região para ter contato com o que existe de mais relevante neste setor. Eu fui um visionário”, comenta Sterci – comprar de quem é daqui e atender quem é daqui sempre foi sua parte mais evidente. 

Agora na comemoração de 44 anos, o empresário procura investir em tecnologia. O novo portal será lançado em breve, com muitas possibilidades. “Quero que meu cliente tenha contato on-line com tudo que eu coloco à venda no meu espaço físico”, salienta. Portanto, será possível fazer compra pela internet dos produtos da casa, desde itens para o churrasco, ou até mesmo os produtos prontos. O sistema delivery contará pagamento via web. Além disso, um aplicativo será lançado junto a página.

Há três anos, Sterci ainda buscou trazer o que mais aprecia ao contato com o consumidor. Foi lançada a Parrilla Del Carmem, um local onde as pessoas podem apreciar e experimentar todos os sentidos. “Sempre estamos evoluindo para trazer o melhor para a região”, comenta Kelli Sterci, comandante do local, sempre atenta aos pedidos do cliente e lança promoções para agradar as diversas necessidades.

“Na hora do almoço recebemos muitos executivos e, portanto, a frequência nos permite ter pratos mais acessíveis. Porém, o jantar é o menu à la carte. Ressaltando o verdadeiro espírito da casa, que é conservar um ambiente intimista, gastronomia de primeira qualidade e atendimento com excelência”, salienta Kelli ao falar sobre a missão do reduto gastronômico.

Aliás, a empresária voltou recentemente de viagem à Argentina. Por lá, conferiu diversas iniciativas, que logo terão as melhores novidades sendo implantadas na casa gastronômica da Rua das Paineiras, 269, no bairro Jardim.  Além de todos os atrativos, os empreendedores têm recebido muitos eventos corporativos.  

Volkswagen confirma aporte de R$ 2,6 bilhões na fábrica de São Bernardo do Campo

Da redação


A Prefeitura de São Bernardo do Campo, sob gestão de Orlando Morando, recebeu nesta última segunda-feira (14) a confirmação de um aporte financeiro que deve aquecer a economia e impulsionar a geração de emprego/renda na cidade. A Volkswagen investirá R$ 2,6 bilhões para o desenvolvimento e produção do novo Polo e o modelo sedã Virtus, na unidade do município. A iniciativa faz parte de um pacote de investimentos que movimentará R$ 7 bilhões até 2020.

O anúncio ocorreu na fábrica de São Bernardo do Campo | Foto: Gabriel Inamine
O anúncio ocorreu na fábrica de São Bernardo, na presença do prefeito Orlando Morando, do governador Geraldo Alckmin, do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, do CEO da Volks no Brasil e América Sul, David Powels, entre outras autoridades do poder público, da montadora e colaboradores.

Durante o ato oficial, o chefe do Executivo enalteceu  a conquista para o município: "Sem dúvida, em um momento delicado como este na economia, a palavra de ordem é de integração e união de forças. Isso envolve a todos: o poder público, a empresa e o sindicato. Parceria esta que a gente vê a preservação de empregos e investimento para os próximos anos. Quando se fala da Volkswagen, pensa-se em São Bernardo", comenta. 

Em janeiro, Morando esteve na primeira reunião com os diretores da fábrica alemã no Brasil, expondo todo o planejamento em torno do trabalho por incentivos e abertura de postos de trabalho. O diálogo se manteve ativo e, em junho, o prefeito de São Bernardo, a convite da diretoria da matriz da Alemanha, viajou a Wolfsburg, e participou da reunião que tornou oficial o projeto de investimento na fábrica do município.

"O momento é especial em nossa empresa, ao completarmos 60 anos da primeira fábrica fora da Alemanha (unidade de São Bernardo do Campo), confirmamos investimento", diz Powels.

Para o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, “o Brasil passa por uma crise econômica, mas mostra sinais claros de recuperação”.  

Já o governador Alckmin destacou a história do município com a montadora. "Quando falamos de automóvel, lembramos de São Bernardo, a capital do automóvel. E ao falar de marca de carro, pensamos na Volkswagen. Isso é identidade. Quando a fábrica chegou à cidade, na década de 1950, cerca de 30 pessoas moravam no município. Duas décadas depois, 200 mil habitantes estavam em São Bernardo. E hoje, é uma das melhores cidades brasileiras”. 


Ao longo de 60 anos, a fábrica produziu 13,5 milhões de automóveis, sendo a Kombi o primeiro modelo. Foram empregados neste período 165 mil pessoas na unidade, que é a maior planta industrial do País.

Orthodontic busca franqueados em São Bernardo do Campo e região

Da Redação

São Bernando do Campo receberá, em 22 de agosto, um evento para apresentar o modelo de negócio da Orthodontic, primeira rede de clínicas odontológicas especializada em ortodontia do Brasil, a todos os interessados em abrir uma franquia da marca.

Comemorando 15 anos de existência em 2017, a Orthodontic possui mais de 180 unidades distribuídas pelo País e proporciona aos franqueados todo o suporte para a gestão de um empreendimento de sucesso. Em 2016, por exemplo, a rede atingiu faturamento de R$ 141 milhões, valor 50% mais alto do que o rendimento do ano anterior, além de apresentar 63% de crescimento em relação a novos contratos fechados com clientes, conforme destaca um dos fundadores da rede, Fernando Massi.

“A preocupação da nossa empresa com o candidato a franqueado começa antes mesmo de ele fazer parte de nosso time. Após a aprovação, nós garantimos que, dedicando-se e seguindo o know-how recebido pela Orthodontic, nosso franqueado terá alta rentabilidade”, destaca. 

Ele ainda defende que novas unidades movimentam a economia local ao gerar novos empregos para a população, além de oferecer tratamentos ortodônticos de qualidade e a um preço acessível aos pacientes.

Para participar, os interessados – que não precisam ter formação em odontologia -, devem se inscrever pelo portal da Orthodontic. “O resultado dos nossos franqueados independe de sua formação acadêmica, uma vez que esses profissionais são administradores de suas unidades, recebendo treinamento padrão, com todo o suporte para gestão de suas franquias”, finaliza Massi.
O evento ocorrerá, às 19h, no Hotel Astron Saint Moritz, que fica na Rua João Pessoa, 124, Centro. 


Complexo Porto Atlântico rende prêmio à empresa de climatização do ABC

Da Redação

Pelo 11º ano consecutivo, a Star Center – empresa especializada em climatização, com sede em Santo André – é contemplada com o Prêmio Smacna Brasil, considerado o Oscar do segmento de conforto térmico. 

Esquipe da Star Center recebeu o prêmio no último dia 10 | Foto: Divulgação 
Neste ano, a premiação foi em razão da obra Porto Atlântico, localizado na zona de revitalização do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro (RJ), construído em um terreno de 16.681 metros quadrados, distribuídos em quatro blocos, sendo o bloco 1 desenvolvido para abrigar empresas de padrão internacional em amplos espaços para escritórios padrão Triple A; o bloco 2, ocupado pela Accor Hotels, Ibis e Novotel, com 450 quartos; bloco 3, composto por 330 salas comerciais e o bloco 4, Mall com 50 lojas em um espaço integrado.

Edson Alves, diretor-presidente da Star Center, recebeu o prêmio durante a solenidade da Smacna Brasil, no último dia 10, no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo.



segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Indústria 4.0 é tema de palestra em São Caetano do Sul

Da Redação

O Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul (ITESCS) promove, no próximo dia 24, mais uma rodada do seu ciclo de palestras. O tema da vez será “Indústria 4.0” e o palestrante será Benício José, empresário, investidor-anjo e atual presidente do ITESCS. O evento ocorrerá no auditório da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) – Avenida Goiás, 3400. 

Participarão do painel sobre o tema o pesquisador e investidor Rubens Macedo e o proprietário da QTMSystem Consulting, Leonardo Velozo. A mediação do encontro será de João Paulo, advogado e vice-presidente do ITESCS. Os interessados devem se inscrever, gratuitamente, por aqui. O evento tem vagas limitadas.

Arte: Divulgação




Administradores preparam manifestação em Brasília

Da Redação

No próximo dia 23 de agosto, o gramado da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, será palco de mais um protesto. A ação, promovida pelo Conselho Federal de Administração (CFA), visa chamar a atenção da população sobre o fim dos boletos sem registros.

Essa medida provoca uma mudança significativa no sistema de boletos de pagamento. O que isso significa? Que o boleto sem registro deixará de existir até o final deste ano. Na prática, isso funciona da seguinte maneira: com a cobrança sem registro, o cedente geralmente paga apenas pelos boletos efetivamente quitados pelos sacados. Já com a nova medida, o banco vai cobrar não só pela emissão do boleto, mas também por outras taxas como alteração ou cancelamento do boleto.

Para o presidente do CFA, Wagner Siqueira, a medida causará um grande impacto econômico. “Se já não bastasse a alta carga tributária, os empresários, principalmente os do segmento das micro e pequenas empresas, terão que se adaptar e migrar para uma carteira de cobrança muito mais onerosa”, diz.

Segundo dados da E-commerce Brasil, realizada em parceria com o SEBRAE, cerca de 75% dos consumidores preferem pagar por meio do boleto bancário por causa das baixas taxas. Nas vendas online, o boleto é a segunda forma mais utilizada pelos compradores. Com a cobrança registrada, o custo de emissão do boleto vai pesar no bolso do empresário e, para reverter a situação, certamente repassará a conta ao consumidor. “A verdade é que a mudança apenas onera as organizações e a sociedade, sem qualquer contrapartida da rede bancária que, diga-se de passagem, bate recordes de arrecadação ano após ano”, afirma Wagner.

Em razão do impacto econômico que a medida trará para o dia a dia dos brasileiros, o CFA fará um ato repudiando o fim da cobrança sem registro. O evento acontecerá na quarta-feira (23) a partir das 9h, e reunirá profissionais e estudantes de administração, além de empresários e cidadãos insatisfeitos com a medida. Durante a manifestação, uma raposa inflável gigante será colocada no gramado da Esplanada dos Ministérios a fim de chamar a atenção do público e provocar uma reflexão sobre o assunto.

Campanha nacional 

Paralelamente à manifestação, o CFA lançou, ainda, a campanha intitulada “Raposão”. O mascote usado na ação simboliza os banqueiros, que de taxa em taxa enriquecem às custas da população. O jingle da campanha é o “Rap do Raposão” e o vídeo faz referência ao estilo ostentação. A campanha será veiculada em publicações impressas, salas de cinema, rádios e redes sociais como YouTube e Facebook.



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Shimizu muda da capital para São Bernardo do Campo

Da Redação

Atraída para a cidade após intensa articulação da nova gestão, a sede da empresa M. Shimizu, especializada em ferramentas industriais, foi formalmente inaugurada em evento realizado na unidade da empresa na Rua Garcia Lorca, no bairro Pauliceia. A transferência das operações da fabricante para a cidade atende necessidade de ampliação de sua capacidade produtiva e representa importante passo para aquecer o polo industrial de São Bernardo, visando o fortalecimento da geração de empregos e renda no município.

Antes baseada na capital, a M. Shimizu chega a São Bernardo com objetivo de aproximar-se de clientes estratégicos, como as montadoras General Motors, Scania, Ford e Volkswagen, além de outros importantes players do setor localizados na região. Instalada na cidade desde o primeiro semestre, a fábrica foi oficialmente aberta durante ato que reuniu o prefeito Orlando Morando, o presidente da companhia, Luiz Mitsuru Shimizu, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Hiroyuki Minami, e o proprietário da construtora MZM, Francisco Magnani.

Morando visitou as novas instalações da empresa | Foto: Ricardo Cassin

“No ano passado perdemos empresas importantíssimas e assumimos como desafio preencher esse vazio deixado por essa evasão. A Shimizu estava sediada em local que limitava seus planos de expansão e, agora, está em uma planta moderna que permite seu crescimento e é um cartão de visita mais atraente”, destacou o prefeito Orlando Morando. A transferência da estrutura fabril de São Paulo para São Bernardo demandou investimento de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões à empresa.

O chefe do Executivo também enfatizou o trabalho da Prefeitura para viabilizar uma melhor acomodação à empresa. Uma das solicitações da fabricante para instalar-se em São Bernardo foi a readequação da Rua Garcia Lorca, que, por questões logísticas, demandava serviços de recapeamento. “Fizemos um investimento nessa via, que além de trazer benefícios para todo o entorno, também demonstra nossa predisposição em ajudar no que for necessário para que as empresas venham para São Bernardo”, completou Morando.

Em fase de expansão, a M. Shimizu também concentra na unidade seu novo Centro Tecnológico, especializado no desenvolvimento de softwares, máquinas e equipamentos voltados ao setor automobilístico, além do departamento de projetos e a divisão de serviços. “Estávamos buscando uma área maior e São Bernardo oferece a sinergia industrial necessária para o segmento em que a gente atua. Estávamos entre Campinas e São Bernardo, mas a atuação do prefeito foi o ponto definitivo para virmos para cá”, explicou o gerente comercial da Shimizu, Roberto Cano.

Fundada em 1970, a M. Shimizu é uma empresa 100% nacional e atende a cadeia das maiores montadoras de veículos do País, com previsão de faturamento de R$ 55 milhões em 2017. “Além do potencial de geração de emprego, a chegada da Shimizu significa muito para a cidade no que tange à tecnologia e inovação. A Prefeitura fez as adequações necessárias para a vinda da empresa, o que mostra a confiança que temos nesse projeto”, completou o titular de Desenvolvimento Econômico, Hiroyuki Minami.




quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Começa travessia de cabo que ligará o Brasil ao continente Africano

Da Redação



A Angola Cables, operadora de telecomunicações globais, iniciou hoje a instalação do cabo submarino de fibra óptica SACS (South Atlantic Cable Sytem), a partir da costa de Angola, em Sangano, município da Quissama. Primeiro cabo a conectar Fortaleza, no Ceará, a Luanda, em Angola, pelo Atlântico Sul, a instalação do SACS é um marco importante para a conclusão do empreendimento, que representa um novo paradigma nas comunicações digitais globais. Ao todo, o processo de instalação do cabo até sua chegada à costa cearense, deverá levar cerca de quatro a cinco meses. Participaram do evento de lançamento do cabo em alto mar diversas autoridades locais, entre eles o Ministro de Telecomunicações e Tecnologia de Informação de Angola, José Carvalho da Rocha, além de uma comitiva brasileira do Governo do Estado do Ceará, incluindo o governador Camilo Santana.

Moroni Torgan (Vice-prefeito de Fortaleza), Camilo Santana (Governador do Ceará), António Nunes (CEO global da Angola Cables) e José Carvalho da Rocha (Ministro de Telecomunicações e Tecnologia de Informação de Angola | Foto: Divulgação
Construído pela unidade japonesa da NEC, o cabo terá capacidade de pelo menos 40 Tbps e 6 mil quilómetros de extensão, tudo isso na velocidade luz, já que a troca de informações entre os dois continentes será feita em até 63 milissegundos, mais rápida que um piscar de olhos. A etapa atual de instalção do cabo em águas rasas é uma das mais importantes do empreendimento, por exigir a participação de diversos especialistas, como explica António Nunes, CEO Global da Angola Cables. 

“A instalação do SACS em alto mar irá envolver a participação de engenheiros, profissionais de TI e mergulhadores profissionais para que o cabo realmente seja fixado com segurança em solo marítimo”, conta Nunes. Ainda de acordo com o executivo, o SACS traduz a capacidade da companhia de encontrar soluções para problemas ainda inexistentes, uma vez que o cabo foi projetado e desenvolvido para atender a demanda de dados das próximas gerações. “Durante dois meses fizemos o mapeamento completo do terreno onde o cabo será instalado no Atlântico Sul. Dessa forma, definimos o melhor caminho a ser percorrido, evitando possiveis rupturas que ele possa sofrer devido às movimentações rochosas do solo”, afirma.

Hoje, além do SACS a Angola Cables conta com outros dois grandes projetos no Brasil, totalizando US$ 300 milhões em investimentos. São eles: o cabo Monet, que ligará Miami, nos Estados Unidos a Santos, passando também por Fortaleza. Este por sua vez conta ainda com as participações do Google, Algar Telecom e Antel (Uruguai). A previsão é que ele comece a operar no último trimestre de 2017; o segundo projeto é a construção de um Data Center internacional, em Fortaleza, que será um agregador de cabos submarinos de fibra óptica. Em construção, ele iniciará suas operações no primeiro semestre de 2018.

Foto: Divulgação
Quando toda a rede internacional estiver concluída, Nunes ressalta que haverá uma grande mudança nas telecomunicações globais, já que a troca de dados intercontinentais passará a ser mais rápida levando cinco vezes menos o tempo atual para que o continente africano tenha acesso aos conteúdos produzidos nas Américas, região que concentra os maiores centros de produção do mundo.

“Angola está cada vez mais próxima de se tornar um dos principais centros das telecomunicações da África subsaariana. Os cabos submarinos e Data Center irão criar novos caminhos para troca de informação e nos tornar parte dos grandes circuitos internacionais”, conclui.

Sobre a Angola Cables:

Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de atacado, cujo negócio principal é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados através de sistemas de cabos submarinos de fibra óptica. É um dos maiores acionistas do WACS (West Africa Cable System), que liga a Africa do Sul à Londres, fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola e na região subsaariana, tornando-se assim um dos maiores fornecedores de IP na região.

Seus principais projetos - SACS e Monet - vão interligar três continentes: América do Sul, América do Norte e África, bem como o Data Center de Fortaleza, uma instalação de Nível III que irá interligar os seus sistemas de cabo criando uma rede altamente conectada. Hoje a empresa já opera um Data Center em Angola, o Anganop.

 Para mais informações, acesse o site da Angola Cables http://www.angolacables.co.ao



Unibes Cultural lança programa para jovens empreendedores da área cultural

Da Redação

A Unibes Cultural, centro cultural criado pela Unibes (União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social) também objetiva ser um polo da economia criativa na cidade de São Paulo. Como forma de marcar e ampliar ainda mais esse escopo, a instituição lança o programa Perspective Hub, cuja proposta é criar reflexão sobre novas formas de se relacionar com a inovação em rede. Direcionado ao jovem empreendedor, engloba compartilhamento, formação e fomento com apoio a startups, incubando-as no coworking, espaço para promoverem suas atividades e seus negócios. A abertura do programa acontece em 16 de agosto (quarta-feira), das 19h às 22h, no Teatro da Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, em São Paulo).

Como hub, a função da Unibes Cultural é concentrar, fomentar, compartilhar, empreender e impactar. Para isso, o objetivo do Perspective Hub é proporcionar uma perspectiva diferente para quem busca inovação, tendo o próprio espaço cultural como concentrador, transmitindo e disseminando informação para muitos receptores ao mesmo tempo. O projeto conta com uma série de programas pensados para jovens empreendedores da área cultural, revelando talentos, oferecendo subsídios para formatação de ideias e abrindo as portas para o mercado. São aproximadamente 400 atendimentos por ano em cursos gratuitos de cinema de animação, games, música e muito mais.

O programa está estruturado em três eixos: Dinâmica do Talento – auxiliar o jovem a descobrir seu verdadeiro talento e como direcioná-lo ao mercado; Dinâmica da Ideia - auxiliar e orientar o jovem empreendedor na estruturação e elaboração do plano de negócio de seu empreendimento; e Dinâmica do Negócio – prestar mentoria com a participação de profissionais das áreas contábil, finanças, jurídica, marcas e patentes, marketing e plano de negócios.

No lançamento, dia 16, ocorre o debate “Como Viver da Sua Arte?”, promovido pela Academia Draft. No evento, serão discutidos os caminhos para viver do seu talento; o desafio de tornar o trabalho uma extensão autêntica de sua vida e uma expressão real das suas crenças e atitudes; atalhos e armadilhas para transformar seu sonho profissional em uma realidade sustentável. Na oportunidade, três empreendedores que inventaram suas carreiras a partir daquilo que mais gostavam de fazer vão contar um pouco de suas histórias e trajetória: Case Gastronomia, com Jorge Gonzalez e seu sócio Marcio Silva, do Buzina Food Truck; Case Literatura, com André Garcia, do portal Estante Virtual; e Case Música, com Patrícia Palumbo, da Rádio Vozes.

No dia 25 de julho, foi assinado protocolo de parceria entre a Unibes Cultural e Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, por meio do "Projeto Voando Alto: Educação e Cultura", cujo objetivo é incluir o eixo formação do projeto entre as iniciativas educacionais do Estado, visando introduzir e estimular a apreciação da leitura e do cinema documental, assim como promover, entre os alunos das escolas da rede pública estadual, a produção literária e cinematográfica. O impacto institucional dessa parceria é enorme, uma vez que há envolvimento de toda rede pública de ensino do Estado de São Paulo, ou seja, um universo de 5 mil escolas, 4 milhões de alunos, além de 400 mil profissionais.

O Perspective Hub é iniciativa da Unibes Cultural e acontecerá ao longo do ano, em diversas atividades. O programa tem patrocínio máster da Liberty Seguros, patrocínio de Suzano e Grupo Ultra e apoio da F.Biz, do Instituto Vedacit, Motorola e da Sage. Para conhecer a programação completa do projeto, entre no site http://unibescultural.org.br/ ou na fanpage https://www.facebook.com/UnibesCultural/.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Bank of China quer ampliar investimentos em São Paulo, diz presidente a Alckmin

Da Redação

O governador Geraldo Alckmin recebeu ontem (8) os presidentes do Bank of China Brasil e da Associação Geral Shanghai do Brasil, Zhang Guanghua e Marcos Zheng, respectivamente. O encontro ocorreu no gabinete do governador, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

“Queremos apoiar o Estado de São Paulo e estreitar os laços entre nossos povos em todos os âmbitos”, disse Zheng Guanghua.

Encontrou ocorreu ontem | Foto: Diogo Moreira/

Alckmin apresentou as oportunidades de investimento em São Paulo. "Teremos a privatização da Cesp (Companhia Energética de São Paulo) em setembro, a concessão de duas linhas de metrô neste segundo semestre, além das rodovias e a capitalização da Sabesp, a maior empresa de saneamento básico do mundo", disse o governador. "É um conjunto de infraestrutura importante: energia, saneamento, rodovias, trem e metrô", conclui. 

O último encontro do governador com um representante chinês foi em dezembro do ano passado, quando recebeu o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang. O encontro aconteceu no Palácio dos Bandeirantes com objetivo de estreitar as relações comerciais entre as regiões.

Parceiros

Em janeiro de 2014, foi assinado um Memorando de Entendimento (MoU) entre o Bank of China e a agência Investe São Paulo, do governo paulista. Segundo Sérgio Costa, diretor da  Investe São Paulo, os principais resultados daquele acordo foram a vinda de quatro delegações de empresários chineses a São Paulo e a missão à China com objetivo de divulgar o Estado como destino para investimentos e consolidar as relações econômicas das regiões.

Nos últimos cinco anos, São Paulo e China assinaram seis acordos com foco principal nos setores de agricultura, meio ambiente e esportes.



Em Santo André, vendas devem aumentar 10% no Dia dos Pais

Da Redação

Para o Dia dos Pais, a Associação Comercial e Industrial de Santo André (ACISA) projeta, em comparação ao mesmo período do ano passado, um incremento de 10% nas vendas do varejo, principalmente nos segmentos de vestuário, calçados, eletroeletrônico e celular.

A Acisa fica na Av. XV de Novembro, 442, Centro, em Santo André  | Foto: Divulgação
Segundo o presidente da entidade Evenson Robles Dotto, os comerciantes estão otimistas e confiantes com os rumos da economia. “As mudanças da lei trabalhista, a redução dos juros, queda da inflação e os dados do Caged, que apontaram mais contratações que demissões no município durante o mês de junho, são sinais bastante positivos para gerar maior otimismo na classe empresarial”, explica.

E como forma de auxiliar os comerciantes a desenvolverem ações promocionais mais direcionadas aos seus clientes, tanto para o Dia dos Pais como para as demais datas, a ACISA continua com o projeto Aqui tem comércio forte!, que envolve um forte trabalho voltado ao fornecimento de informações  para que os comerciantes tenham acesso a um vasto conteúdo, via redes sociais. 

Até o momento, já foram postados vídeos de como construir a melhor oferta; como criar estímulo e chamar o cliente para a ação; como divulgar sua estratégia na internet e como divulgar suas ofertas nas redes sociais, além de planejamento de promoções. Todo o conteúdo pode ser acessado no portal.



terça-feira, 8 de agosto de 2017

E-commerce espera crescimento de 12% para Dia dos Pais

Da Redação

Com a chegada do Dia dos Pais, o comércio eletrônico já está aquecido com as vendas. De acordo com levantamento realizado pela Infracommerce, empresa líder em full service para e-commerce na América Latina, o e-commerce possui uma expectativa de crescer 12% em relação ao mesmo período do ano anterior. O ticket médio também deve subir 9%, expectativa que se assemelha ao levantamento realizado pela Ebit, empresa referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro, que espera um crescimento de 11% na comparação com 2016.

Dados são da Infracommerce | Foto: reprodução

O Dia dos Pais é uma das principais datas do segundo semestre para o comércio de eletrônicos como celulares e itens nesse segmento. Ainda segundo a Infracommerce, produtos como tênis, acessórios e roupas esportivas são os mais procurados. As lojas que contemplam esses setores contabilizam um aumento entre 20% e 40% nas vendas para o período e a expectativa é que aproximadamente 20 milhões de brasileiros comprem até o dia 13 de agosto, especialmente mulheres entre 20 e 34 anos.

Segundo Samantha Schwarz, responsável ela área de Operação de Lojas da Infracommerce, com a popularidade do comércio eletrônico a tendência é que os clientes antecipem cada vez mais suas compras. “Nesse ano, desde o dia 10 de julho já notamos um aumento nas visitas. Nos anos anteriores, a procura começou mais tarde: por volta do dia 25 de julho”, explica.

A especialista também aponta que os consumidores vêm buscando cada vez mais cupons de desconto e que essa foi uma estratégia muito usada no setor em 2016, que permanece para 2017. Por fim, apesar do foco da data ser o público masculino, a comunicação e as campanhas são bastante voltadas para as mulheres que têm grande parte do poder de compra para a ocasião.

A Infracommerce, que realizou este levantamento para a data, é responsável pelas lojas virtuais de marcas como Ambev, Mizuno, Mont Blanc, Oakley, Ray Ban e Unilever.


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Dória participa de evento empresarial nesta quarta em Santo André

Da Redação


O Teatro Municipal de Santo André recebe na próxima quarta-feira (9) o 1° Meeting Empresarial - Novos caminhos e oportunidades. O evento contará com a presença do prefeito de Santo André, Paulo Serra, e do prefeito de São Paulo, João Dória, e reunirá diversos empresários da cidade para discutir o futuro do município. A agenda está marcado para as 7h, e se estenderá por toda a manhã. Interessados em participar do evento devem entrar em contato pelo e-mail rsvp@santoandre.sp.gov.br ou pelo telefone 4433-0145. 



Bolsa de Valores: cinco mitos que todo investidor iniciante acredita

Da Redação

Hoje, cada vez mais as pessoas estão procurando novas alternativas para investir. Porém, existem diversas opções de investimentos disponíveis no mercado atualmente, gerando dúvidas entre os próprios investidores. Quando se trata de ações é possível encontrar muitas informações diferentes. Há inclusive muitas promessas de enriquecimento fácil apenas investindo na bolsa. Porém, por mais atrativo que esse tipo de investimento possa parecer, é preciso encarar o fato de que existem prós e contras. André Bona, Educador Financeiro do Blog de Valor, afirma: “É meu trabalho desmistificar as lendas que circundam o investimento na bolsa de valores. E fundamental, pois os investidores precisam sentirem-se seguros antes mesmo de investirem e entenderem que elas acumularão riquezas com o seu trabalho e não com ações”, diz.

O educador financeiro, André Bona, listou os cinco mitos sobre o investimento na Bolsa de Valores. 

1. Investir em ações traz retorno rápido
Muitos investidores podem achar que o retorno será imediato quando investem na bolsa, e não só acreditam nessa rapidez como também acham que será um valor alto. No entanto, quando passam as primeiras semanas e percebem que não é bem isso que acontece e, em alguns casos, podem até perder um pouco do dinheiro, a desilusão aparece e o interessado entra em desespero. É necessário ter em mente que o mercado de ações é sim lucrativo, porém, é preciso ter paciência, estar preparado para as oscilações que sempre ocorrem no mercado e saber a hora certa de vender e comprar as ações.

2. Com ações o dinheiro vem sem esforço
Um mito bastante difundido quando se fala em ações. Por ser possível operá-las sem precisar sair de casa, inclusive de forma programada, muitas pessoas acham que não há esforço para começar a ter lucros. Mas isso é mentira. Mesmo que ações sejam bem práticas de se manusear, é preciso um certo conhecimento e dedicação para dominá-las e não ser pego de surpresa pelas quedas repentinas.

3. É preciso de muito dinheiro para investir na bolsa
É comum que muitos achem que a bolsa de valores é um investimento para pessoas ricas. Contudo, isso não é verdade. Afinal, é possível usar quantias bem pequenas comprando apenas uma ação. Porém, não é muito aconselhável investir pouco, principalmente por causa das taxas que costumam ser cobradas por bancos e corretoras. Uma opção é também investir em ações por meio de fundos de investimentos. Nesses espaços, as taxas são divididas entre todos os participantes. 

4. Só dá para aplicar na bolsa se for um especialista
Isso não é verdade, a bolsa de valores pode parecer complicada, porém não é nenhum bicho de sete cabeças. Não é necessário ser um especialista em economia ou finanças para começar a operar ações e fazer dinheiro na bolsa. O que é importante é que o investidor esteja bem informado sobre as ações pretendidas e procure se manter alerta ao histórico da companhia à qual elas pertencem.

5. Você tem mais chances de acertar do que um especialista
Investir em ações não necessariamente significa comprar ações. Mais seguro e com maiores chances de rentabilidade, um bom fundo de ações com um gestor renomado, ou um fundo que tem cotas de diversos outros fundos, sem dúvida alguma aumentam as chances de sucesso. O pequeno investidor precisa deixar o seu ego de lado e entender que dificilmente ele acertará mais do que um especialista com décadas de experiência e sua equipe.



André Jordan amplia investimento no mercado imobiliário em Portugal

Da Redação

Em um contexto de constate êxodo de brasileiros para Portugal, um dos nomes mais importantes do mercado imobiliário no país luso é carioca. Considerado o “pai do turismo” português, o empresário André Jordan, mundialmente reconhecido pela Quinta do Lago e pelo Belas Clube de Campo, aposta agora em um novo empreendimento: o Lisbon Green Valley, com investimento na ordem de 100 milhões de euros (371 milhões de reais).

Sendo a nova fase do Belas Clube de Campo, o Lisbon Green Valley está inserido nos mais de 1000 hectares de floresta da Serra da Carregueira e em plena harmonia com a Natureza, a apenas 15 minutos do centro de Lisboa, uma situação única a nível europeu.

Empresário é conhecido como o "pai do turismo" português | Foto: Divulgação

“Este é um projeto com o cunho do André Jordan Group, onde incorporamos toda a experiencia adquirida na Quinta do Lago e em Vilamoura XXI, e estou convicto que este será um sucesso ainda maior. A qualidade da arquitetura e toda a envolvência tornam o Lisbon Green Valley um local único, o novo destino de Lisboa”, diz Jordan.

Das 750 famílias que já residem no Belas Clube de Campo, 90% são portuguesas. No entanto, o empreendimento já registra 26 nacionalidades distintas, com notável destaque para os brasileiros, o que motivou um investimento internacional do Grupo, passando por Rio de Janeiro e São Paulo. A expectativa do grupo é ampliar a procura estrangeria para até 40%.

A relação do Grupo com o Brasil estende-se em outros projetos imobiliários nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, conforme aponta Gilberto Jordan, filho de André e CEO do grupo.

“Crescer no mercado internacional faz parte da nossa estratégia e o Brasil foi uma escolha natural, não só pelas raízes brasileiras, como também pela ligação do Grupo, desde há vários anos com este mercado, nomeadamente com a edificação de projetos urbanísticos pioneiros e de alto padrão como é o caso do Edifício Chopin, no Rio, e Edifício Esplanada, em São Paulo. Temos uma longa experiência nos mercados internacionais nos nossos projetos consolidados no Algarve como a Quinta do Lago e Vilamoura XXI. Além disso, assistimos a uma crescente procura por parte dos brasileiros de produtos de qualidade em Portugal. Existe uma relação muito próxima entre os dois países e queremos reforçar essa ligação”, diz.

Com uma envolvente paisagística de beleza inquestionável em torno de um dos campos de Golfe mais conceituados de Portugal, e integrando um conjunto de serviços e infraestruturas – Clube de Spa e Lazer, áreas lúdicas e desportivas, restaurantes – o Lisbon Green Valley – Belas Clube de Campo já é considerado o maior empreendimento residencial nas imediações de uma capital europeia e uma referência de sucesso incontornável no mercado imobiliário e na área da sustentabilidade na Europa.



sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Pesquisa aponta aumento de 86% em empréstimos para compra de veículo

Da Redação

Levantamento realizado pela Lendico, plataforma online de empréstimo pessoal, revela que, em julho, os principais motivos pelo qual o consumidor procurou dinheiro extra foram aquisição de veículos (aumento de  86%), compra de eletrodomésticos (aumento de 166,16%), férias e viagens (aumento de 51,07%) e reforma ou mudança (aumento de 51,3%). A Lendico levantou os dados com as pessoas que solicitaram empréstimos entre os dias 1 e 31 de julho através do portal da empresa. 

 Foto: Divulgação

Além dos pedidos pessoais, a Lendico observou um crescente número de pedidos de empréstimo (11%) de pessoas físicas que usariam o crédito para abertura de negócio ou para investir na própria empresa. Esses dados são comparativos aos pedidos de empréstimo de julho de 2016 realizados pela Lendico.

De acordo com a pesquisa, os brasileiros voltaram a consumir com mais força.  O estudo mostrou fortemente a procura por empréstimos para aquisição de veículos, e para férias e viagens que costumam ocorrer nesta época, entre julho e setembro. 

A preocupação constante com a beleza e com a chegada do verão no final do ano aumentaram também significativamente os pedidos de empréstimo para tratamentos estéticos, que  variaram em mais de 78% em relação ao ano anterior. 

As solicitações de crédito pessoal através da Lendico em julho de 2017 foram realizadas 66% por pessoas entre 21 e 40 anos; 42% profissionais de carteira assinada; 36% residentes no estado de São Paulo.


Sindicato anuncia ação para esclarecer Lei da Gorjeta

Da Redação

O Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC (SEHAL) criou um formato diferenciado para atender a grande demanda de dúvidas dos empresários sobre a aplicação da nova Lei da Gorjeta. A partir da próxima semana serão desenvolvidas consultorias personalizadas para esclarecer os diversos questionamentos a respeito da norma. Os encontros serão limitados e restritos inicialmente aos contadores dos estabelecimentos comerciais que serão atendidos por advogados especialistas no assunto. O primeiro encontro será na próxima terça-feira (8), das 16h às 18h, na sede do SEHAL, localizado na Rua Laura, 214, Santo André.

A ideia é qualificar o profissional especializado que atende estabelecimentos que adotam a prática da gorjeta, conforme explica o presidente da entidade Roberto Moreira. “Queremos que os nossos jurisdicionados tragam suas dificuldades. Dessa forma, vamos tornar o atendimento dinâmico e responder diretamente a dúvida dos interessados. A nova Lei traz segurança jurídica e benefícios aos funcionários, por isso, é nosso interesse que os bares e restaurantes façam sua aplicação correta e também evitem perdas. Vamos reunir um grupo seleto, mas que é o grande responsável por fazer esta transição”, conta.

A Lei nº 13.419 sancionada em 15 de março deste ano, entrou em vigor a partir de maio. O texto regulamenta a cobrança e distribuição de gorjeta em bares, restaurantes, hotéis e motéis. A norma estabelece que o valor pago seja incorporado como remuneração aos trabalhadores e contribuirá para encargos sociais e trabalhistas recolhidos pelas empresas.

Denize Tonelotto, advogada do SEHAL, comenta que a matéria ainda gera questionamentos sobre a maneira correta de aplicação. “Apesar de a Lei ser uma comemoração para o setor tem gerado dúvidas sobre a sua forma de aplicação. Algumas dúvidas estão relacionadas quanta à maneira de incluir a taxa de serviço no caixa. O desafio é levar a informação correta e, com este novo formato, conseguimos um relacionamento mais próximo e dinâmico com o associado tornando o atendimento ainda mais eficiente”, afrima.  

O SEHAL e o Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviços em Geral de Hospedagem e Gastronomia, de Santo André e Região (SINTSHOGASTRO) ajustaram um aditamento à Convenção Coletiva da categoria, que estabelece normas para o rateio da gorjeta, para as cidades de Santo André, São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires. No entanto, as tratativas para estabelecer normas para Diadema e Rio Grande da Serra ainda não tiveram resultado.



Os 7 pecados capitais da era digital

Por Paulo Marcelo, CEO da Resource

A Transformação Digital, embora muito divulgada, estudada e debatida, está em construção. A sociedade já é digital e as empresas ainda não. Por isso, merece todo o cuidado para que seja bem-sucedida. É muito importante contar com um parceiro que ajude o cliente a conduzir essa jornada de maneira assertiva, promovendo o engajamento de todos os colaboradores, com o comprometimento do board da empresa. O sucesso dessa transformação depende fundamentalmente das pessoas.

"A estratégia é unir todas as competências do time da casa", diz o CEO Paulo Marcelo | Foto: Divulgação
Dessa forma, o cliente dessa nova era, empoderado, contrata mais do que serviços ou soluções, ele quer resultados. E para que eles sejam atingidos, é preciso conhecer algumas armadilhas que podem comprometer o nível de excelência do digital. Listei a seguir sete entraves que devem ser evitados.

1-   Não integrar a visão corporativa à estratégia digital
A construção da estratégia digital deve permear todas as áreas de negócio e integrar a estratégia da corporação. É preciso ter clareza sobre onde a empresa pretende chegar, desenhar uma jornada de transformação digital e integrar esse plano à visão da companhia. Todos devem unir esforços para uma ação conjunta com um objetivo comum: modernizar processos, produtos e serviços para colocar a corporação em linha com as atuais expectativas de clientes e parceiros. A transformação não acontece sozinha e visa fortalecer a competitividade e o posicionamento da empresa.

2-   Não ter o comprometimento do CEO e do C-Level
Contar com o apoio do CEO na construção de uma estratégia digital não é mais o suficiente para o sucesso. É preciso contar com a sua liderança e o comprometimento efetivo do C-Level. É fundamental também priorizar e sustentar continuamente os investimentos, além de medir resultados. Somente dessa forma, a empresa será bem-sucedida na integração da sua cultura ao digital. CEO e C-Levels devem estar engajados na promoção do conhecimento aos seus colaboradores, participar ativamente de eventos que objetivam disseminar a nova cultura. Bons exemplos trazem incentivo e credibilidade.

3-   Não contagiar as pessoas com a nova cultura
As mudanças na cultura da empresa para um modelo de evolução digital requerem a modernização de processos que muitas vezes esbarram em resistências. Portanto, é importante contagiar as pessoas com a cultura digital, mostrando todos os benefícios que esse novo modelo pode proporcionar no desenvolvimento de suas funções. Dessa forma, é possível evitar a formação de silos de evolução e estender a transformação para todas as áreas da empresa. A comunicação é essencial para garantir uma adesão consistente e ganhar a confiança de todos.

4-   Não fortalecer as competências para a nova era
A transformação digital trouxe a necessidade de agregar novas competências para atingir os objetivos de negócios 4.0. Essa renovação não significa necessariamente uma ruptura com o modelo existente. A estratégia é unir todas as competências do time da casa, trazer novas, investir em talentos, preservando a essência da companhia. A execução de uma estratégia digital acontece por meio da motivação das pessoas, que usam a tecnologia para alcançar resultados com mais eficiência.

5-   Não buscar o simples e cair na armadilha do complexo
Este é um dos maiores pecados em uma estratégia de transformação. Um dos protagonistas da era digital é a metodologia Ágil, que proporciona a realização de entregas rápidas, por meio do conceito de MVPs (Mínimo Produto Viável). Essa vantagem de poder aumentar a quantidade de novas versões disponibilizadas aos clientes permite que erros apareçam mais rapidamente e, ao mesmo tempo, sejam solucionados na mesma velocidade. Assim, é possível simplificar o desenvolvimento e acelerar ainda mais o compromisso com as entregas.

6-   Adotar todo e qualquer tipo de tecnologia sem planejamento e avaliação de necessidades
Quando a decisão de construir uma estratégia digital é tomada, é preciso, primeiramente, avaliar o cenário atual e os principais objetivos que a empresa pretende atingir com as mudanças. A Transformação Digital não é um remédio para todas as dores do negócio. Definido o desenho da jornada digital, é hora de agregar as tecnologias que irão contribuir para o seu sucesso. Não se pode cair na armadilha de querer adotar todas as inovações que não estejam diretamente relacionadas com as necessidades de modernização dos negócios e, consequentemente, dos seus resultados.

7-   Não eleger agentes de transformação digital
Dependendo do porte e da atuação da empresa, é muito importante eleger agentes da transformação digital, originados do time de C-Levels da companhia. Eles serão fortes aliados do CEO no compromisso de permear a nova cultura em toda a companhia e manter todas as pessoas informadas e engajadas.  Os agentes devem trabalhar para que a transformação digital seja implementada em ciclos rápidos e cuidar para que os investimentos sejam constantes no digital. Dessa forma, o processo será consistente, contínuo, executado, aferido e controlado.



quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Permutas ajudam a movimentar vendas de imóveis em São Paulo

Da Redação

Com a ajuda de permutas, as vendas de imóveis usados na cidade de São Paulo registraram crescimento de 12% no primeiro semestre deste ano, na comparação com igual período de 2016. É o que aponta balanço da Lello, administradora e imobiliária paulistana, com filiais na capital paulista, ABC, interior e litoral do Estado.

Com a permuta, os proprietários aceitam receber um imóvel menor como parte do pagamento daqueles que estão vendendo. Dessa forma, os compradores não precisam desembolsar todo o valor solicitado pelos vendedores.

A maior flexibilidade dos proprietários em negociar também se reflete nos preços. O valor médio por imóvel vendido no primeiro semestre de 2017 foi de R$ 650 mil, ante R$ 750 mil nos seis meses iniciais do ano passado.

“Para quem deseja adquirir um imóvel, o momento é agora, pois são muitas as ofertas e os proprietários, mais do que nunca, estão bem flexíveis na negociação”, afirma Igor Freire, diretor de Vendas da Lello Imóveis.

Segundo ele, ainda há interessados em comprar imóveis esperando que os preços caiam. “Mas na nossa avaliação os valores já estão estabilizados. O que ocorre é a negociação entre proprietários e compradores”, diz.

Do total de imóveis vendidos no primeiro semestre, 73% foram apartamentos e 27%, casas. O tempo médio em que uma unidade residencial leva para ser vendida a partir de sua disponibilização no mercado é de cinco a nove meses.

“Apesar das incertezas quanto ao cenário político e econômico para o país, apostamos em um cenário favorável para o mercado imobiliário neste segundo semestre”, conclui o diretor da Lello.